Os nossos autores

Germana Tânger (n. Lisboa, 16 janeiro 1920) é uma das figuras maiores da cultura portuguesa da 2ª metade do séc. XX. Divulgadora de poesia durante mais de quatro décadas, o seu nome ficará para sempre associado à palavra dita, quer através de inúmeras sessões de poesia por todos os continentes, quer através da sua atividade enquanto professora de voz e dicção, no Conservatório Nacional, durante 25 anos.

Professor do Ensino Básico. Publicou em 2008 o seu primeiro livro de poesia, Ninguém Pelas Ondas do Mar Entrando. No Ar.Co (Centro de Arte & Comunicação Visual), realizou a sua formação em fotografia, participando em diversas exposições colectivas neste domínio. Colaborou ainda na revista New Optimism nas áreas de Literatura e Fotografia.

José Manuel Costa Sanches Mendes Teixeira da Fonseca Moçambique, estudou na Universidade de Lourenço Marques até ao primeiro ano de Medicina, tendo finalizado o curso na Faculdade de Medicina de Lisboa. Optou pela carreira de Clínica Geral/ Medicina Familiar, tendo o grau de Assistente Graduado. Desenvolveu as suas funções, essencialmente, em Portel e Évora.

Luís de Morais Sarmento (n. 1961) cursou arquitetura na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa. Entre 1979 e 1996 participou em várias exposições individuais e coletivas, entre as quais “Terras do Cante”, Beja (Menção Honrosa); “A vinha e o vinho na pintura” SNBA, Lisboa; “Contemporary Portuguese Art”, Jaditte Galleries, New York; “Prémio Fidelidade”, Biblioteca Nacional de Lisboa; “Peintres Portugais”, Bordeaux, França; “Terra Viva” Rio de Janeiro, Brasil; “International Art Horizons”, Photography, New York. Publicou uma brochura de poesia/desenho “Prados Ópticos”.

Luís de Morais Sarmento (n. 1961) cursou arquitetura na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa. Entre 1979 e 1996 participou em várias exposições individuais e coletivas, entre as quais “Terras do Cante”, Beja (Menção Honrosa); “A vinha e o vinho na pintura” SNBA, Lisboa; “Contemporary Portuguese Art”, Jaditte Galleries, New York; “Prémio Fidelidade”, Biblioteca Nacional de Lisboa; “Peintres Portugais”, Bordeaux, França; “Terra Viva” Rio de Janeiro, Brasil; “International Art Horizons”, Photography, New York. Publicou uma brochura de poesia/desenho “Prados Ópticos”.

Nasceu em Lisboa em 1945, tendo frequentado o curso geral dos liceus na área de germânicas. Na sua vida profissional esteve sempre ligado à indústria hoteleira – durante os últimos 30 anos, como director-geral de hotéis em Portugal continental, na ilha da Madeira, em várias ilhas dos Açores e também em Libreville, capital da República do Gabão.

Nasceu em 1970 em Rãs, pequena aldeia do concelho de Sátão, distrito de Viseu. É autor de uma bibliografia multifacetada: do ensaio filosófico à prosa de ficção, da poesia à literatura para crianças. Publicou: Um Planeta Ameaçado: A Ciência Perante o Colapso da Biosfera (2006), A Cirurgia do Prazer (2010, 2016), O Templo da Glória Literária (2010), Ser Como Tu (2011), O Lugar das Coisas (2012, 2016), Aprenducar com a Mãe Natureza (2012, 2016), SobreViver (2013), Amo, Amas, Amar: Quase tudo acerca do amor (2014) e A Casa das Palavras (2015).

Pedro Strecht, 1966 Médico de Psiquiatria da Infância e Adolescência Vive e trabalha em Lisboa. Casado, pais de três filhos Licenciou-se na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa.

É um autor sobejamente desconhecido. Homem de poucas palavras, visto que copiou do dicionário a maioria das palavras que escreveu neste livro, não aprecia idiotas. É um simples técnico de Rendimento Social de Inserção que decidiu passar para o papel as histórias mais incríveis e idiotas que vivenciou no seu local de trabalho.